Angola:

Principais marcos históricos de Angola

1483 - Os Portugueses chegam.

1575 - Os Portugueses fundam Luanda.

Séculos 17 e 18 – Os Portugueses começam o comércio de escravos em Angola. Mais de um milhão de escravos é enviado para o Brasil entre 1580 e 1680.

1836 - O comércio de escravos acaba.

1951 - Angola torna-se uma província portuguesa.

1954 – Fundação do PLUA - Partido da Luta dos Africanos de Angola.

1956 – Do PLUA emergiu o MPLA - Movimento Popular de Libertação de Angola, sob a presidência de Agostinho Neto.

1956 – Um manifesto do MPLA circula pelas ruas de Luanda a denunciar a opressão colonialista.

1958 – O MIA - Movimento de Independência de Angola - une forças com o MPLA.

1975 - Angola ganha a independência mas três grupos políticos diferentes, o MPLA, a FNLA e a UNITA, lutam pelo poder.

1976 - O MPLA ganha preponderância.

1977 – 27 Maio – Tentativa frustrada de um Golpe de Estado, conduzido por Nilo Alves e outros dissidentes do MPLA

1979 – 10 Setembro – Morre em Moscovo, vítima de doença, o Dr. Agostinho Neto, primeiro Presidente de Angola. José Eduardo dos Santos é proclamado o novo Presidente da República no dia 21 de Setembro.

1989 - Dos Santos, líder do MPLA, e Jonas Savimbi, líder da UNITA, chegam a acordo para acabar a guerra. Mas o acordo falha e a guerra continua.

1992 – 29/30 Setembro – Primeiras eleições gerais multipartidárias, presidenciais e legislativas, na História do País. O Presidente José Eduardo dos Santos vence a primeira volta das presidenciais com 49,57% dos votos e o MPLA obtém a maioria absoluta nas legislativas com 53,74% dos votos.

1994 - O Governo e a UNITA assinam um acordo de paz, o Protocolo de Lusaka.

1996 - Dos Santos e Savimbi chegam a acordo para criar um governo unificado.

1997 - Abril - O governo unificado começa a governar; Savimbi recusa entrar no novo governo.

1998 - Recomeça a luta. Centenas de milhares de pessoas ficam desalojadas.

2002 - Fevereiro - O líder da UNITA, Jonas Savimbi, é morto por tropas governamentais.

2002 - O MPLA e a UNITA assinam um acordo de cessar-fogo seis semanas depois da morte de Savimbi. Ele assinala o fim de 30 anos de guerra civil..

Enquanto Angola luta para passar de um país dividido para uma democracia unida, o país enfrenta três grandes problemas: uma crise humanitária, uma abundância de campos de minas e uma contínua luta de guerrilha na região norte de Cabinda.

You are viewing the text version of this site.

To view the full version please install the Adobe Flash Player and ensure your web browser has JavaScript enabled.

Need help? check the requirements page.


Get Flash Player